Notícias

Vereador Sidney Ferreira promove encontro entre setor de desenvolvimento econômico e representantes da Marca Ellus

O secretário recebeu a representante da marca ELLUS, Vânia Alvarenga e a empresária Verônica e ouviu os anseios do setor.

          Nesta quarta-feira, 19 de setembro, o vereador Sidney Ferreira foi procurado por representantes do polo de confecções de Formiga e da ELLUS, uma das empresas da moda que alimenta as facções do município. O vereador foi alertado para alguns entraves que o setor vem enfrentando para que continue movimentando o polo de confecções na cidade.

          Imediatamente, Sidney Ferreira já acionou o secretário de Desenvolvimento Alisson Sá que recebeu a representante da marca ELLUS, Vânia Alvarenga e a empresária Verônica de Fátima e ouviu os anseios do setor. A assessora do vereador, Luciene Morais, também participou.

          De acordo com a Sra. Vânia, para finalizar a produção é necessário um tipo de lavanderia, a qual o município ainda não possui. Outro ponto abordado foi a questão de incentivos que outros municípios oferecem e que Formiga ainda não, o que financeiramente, está se tornando inviável para a marca confeccionar suas marcas na cidade. O crescimento da informalidade também é outro ponto a ser trabalhado. "Formiga possui uma trajetória de 40 anos no ramo de confecções e a ELLUS está aqui desde o início. É uma questão histórica e precisamos nos unir para não deixar morrer este polo que, se for extinto, deixará um déficit de mais de 350 empregos diretos na cidade. Mas, se continuar como está, em dezembro próximo já não poderemos continuar aqui. Por isso, precisamos unir nossas forças e encontrarmos uma solução urgente!", disse Vânia.

          O Secretário de Desenvolvimento Econômico e o responsável pelo Sine, Rodrigo Melo, se prontificaram a acionar o prefeito e juntos propor uma solução para o entrave.

          Sidney Ferreira afirmou que já abraçou a causa, e vai lutar junto com as facções e com as grandes marcas que geram renda no município para que o polo permaneça na cidade. "Não podemos desconstruir nossa história. Estamos falando de 350 famílias que poderão ficar sem trabalho e uma queda considerável na arrecadação do município", finaliza o  vereador.

Textos relacionados