Notícias

Descumprimento de exigência do Ministério da Saúde leva vereador a pedir análises da água distribuída pelo SAAE

De acordo com informações, alguns exames não são feitos desde 2015

Para se ter uma ideia, de acordo com a própria OMS, para cada R$ 1,00 investido em saneamento básico são economizados R$ 5,00 na saúde públi

          Após receber denúncias de que a água tratada e distribuída pelo SAAE não está sendo feita conforme o exigido pelo Ministério da Saúde, principalmente no tocante à detecção de materiais tóxicos, tendo sido alvo da denúncia 154, protocolada no 2º Pelotão de Meio Ambiente e registrada sob o REDS 2018-026249924-001, de 15/06/2018, o vereador Sidney Ferreira requereu do Executivo e da Autarquia, algumas informações pertinentes ao tema.

          De acordo com o apresentado pelo profissional técnico químico do SAAE, a última análise laboratorial completa, exigida pelo Ministério da Saúde por meio da Portaria de Consolidação 29/ 2014 e 05/2017 foi realizada no mês de junho de 2015 e que, embora esteja em desacordo com a referida portaria, o profissional assegura que a água distribuída é de boa qualidade. Levando em consideração esta informação, o vereador questionou quais parâmetros utilizados para que o profissional possa conceder esta garantia, já que não está em acordo com o Ministério da Saúde?

         “Tendo em vista o descumprimento de uma exigência do Ministério da Saúde para minimizar os riscos de contaminação da água consumida pela população, que caso esteja contaminada pode vir a causar graves danos à saúde, porque o Executivo não agilizou as providências cabíveis para que fosse feita a referida análise? Isso precisa ser apurado”, disse o vereador.

           O vereador Sidney Ferreira fez questão de ressaltar que para além das questões do consumo consciente, é importante salientar também as benfeitorias que um tratamento adequado traz para a saúde da população. Para se ter uma ideia, de acordo com a própria OMS, para cada R$ 1,00 investido em saneamento básico são economizados R$ 5,00 na saúde pública.

Textos relacionados