Câmara

O início do Poder Legislativo em Formiga

Em 16 de março de 1839, A Lei que obrigava a instaurar uma Casa para as sessões Legislativas foi assinada

Em 1861, a Câmara funcionava à antiga Rua do Rosário (próximo à Igreja do Rosário), seu edifício era uma obra de madeira

Para relatar a história da Câmara Municipal de Formiga, não se pode deixar de lado a história da cidade, que iniciou a partir da relação de interesses entre os que exploravam a extração do ouro (que se presumia existir por essas bandas e a caminho para Goiás), entre os comerciantes, e entre os que detinham o controle administrativo, representados por agentes da Coroa Portuguesa, que impunham deliberações quanto à forma e direcionamento da ocupação urbana.

Inúmeros povoados na região das Minas Gerais surgiram a partir de um pouso e de uma capela.

O pouso se definiria como sendo um simples terreno para acampamento, em que o proprietário consente que os tropeiros alimentem seus burros e os amarrem em mourões.

Mais tarde, com uma pequena população, surge a idéia da construção de uma capela, na qual um padre, periodicamente se apresenta para celebrar missas e distribuir os sacramentos.

Levantada a Capela, surgem as casas ao redor, depois uma venda. Depois, outras casas são construídas, e assim por diante. Em linhas gerais, assim se formavam os povoados e em Formiga não foi diferente. A população era constituída predominantemente por lavradores e proprietários de terras.

Em 1833, iniciaram os trabalhos visando elevar o Povoado à categoria de Vila.

Já em 16 de março de 1839, foi assinada pelo Governador da Província, Bernardo Jacinto da Veiga, a Lei 134, que elevou uma série de povoações à categoria de vila, e assim o Arraial de São Vicente Férrer da Formiga foi elevado à Vila Nova de Formiga.

A mesma lei que elevava o povoado à vila obrigava os habitantes a construir uma Casa para as Sessões das Câmaras Municipais. E aí, inicia-se a história do Poder Legislativo em Formiga.